Carta aberta de Agradecimento aos Congressistas

 


Ilustríssimos congressistas,



Uma semana se passou. Os resquícios e as reminiscências do I Congresso Internacional sobre Inteligência Emocional e Educação: Investigar e intervir para mudar ainda se fazem sentir em forma de eco nos nossos ouvidos e espíritos.


Diga-se em abono da verdade que estamos cônscios de que não estaríamos nesta posição relativamente confortável, no sentido de pensar noutros voos mais auspiciosos, se não tivéssemos podido contar com o vosso prestigioso apoio, incentivo, dedicação, presença, clarividência e com as intervenções plenas de sapiência e de sentido de partilha.


Os nossos objetivos foram atingidos, porquanto preconizávamos auscultar e sentir o pulsar das veias investigativas a emergir para a prática, verberando e partilhando num mesmo palco as experiências com as pessoas. O público continua ávido desses conhecimentos e dessa proximidade académica e ao mesmo tempo relacional.


Permitam-nos referenciar com toda a sinceridade e sentido de reconhecimento que o contributo de V. Ex.ªs foi sobremaneira importante para o sucesso no que tange à reflexão almejada e conseguida, nos caminhos da aprendizagem, compreensão do desenvolvimento da inteligência emocional ao serviço das sociedades.


Todos saímos a ganhar. A educação nas suas diversas vertentes saiu mais fortalecida. Importa agora depois uma reflexão mais maturada, traçar novas metas em que a cientificidade possa continuar a mesclar-se com os aspetos eminentemente práticos com o fito último de servir as pessoas. Isso só é possível quando conseguimos conciliar o desenvolvimento e a evolução dos seres humanos em matérias técnico-práticas com a experiência do vosso conhecimento, do controlo e da gestão das emoções conducentes a uma vida mais feliz em termos de satisfação interior e na relação com os outros.


Devíamos deixar que outros o fizessem. No entanto, relevem alguma falta de modéstia, mas, a unanimidade das opiniões recolhidas sobre o I Congresso Internacional para a Inteligência Emocional, como experiência, foi um sucesso, apesar de algumas dificuldades estruturais que nos constrangem neste momento.
Em nome da Comissão Organizadora, prevalecemo-nos desta oportunidade para vos endereçar os nossos mais sinceros reconhecimentos tanto pela honorabilidade da sua presença como pela prestação e eloquência na partilha das suas matérias.


Permitam-nos igualmente reforçar que gostaríamos de poder continuar a contar com a sua benevolência e créditos em futuros eventos.


Com o nosso mais profundo reconhecimento, subscrevemo-nos com a mais elevada consideração académica e pessoal.
Atenciosamente,


António de Almeida Figueiredo

Presidente da Comissão Organizadora